sábado, 26 de julho de 2014

Nasci do outro lado do oceano

Nasci no outro lado do oceano, a Venezuela que nunca conheci, ou melhor, que não me recordo é hoje um país grande num continente gigante. Foi a minha primeira casa. Hoje, mesmo sem conhecer, é pela América Latina que o meu coração “chama”... que a minha pele respira. Gosto da cultura, do lugar, do ar e de tudo que aquele continente pode dar. Quero um dia lá voltar! É verdade, hoje quero conhecer a cidade onde nasci e a qual a minha mãe relembra com alguma saudade e alegria. Mas não só da Venezuela se cria aquele continente, tem tanto por onde olhar, respirar e saborear que me perco nas opções.
Olha o brasil, que ao lado é vizinho e que partilha o continente. É a alma latina, o mesmo calor e o mesmo oceano. O clima deve ser verdadeiramente cativante mas não é deveras para mim o mais importante. Perco-me na mistura de sensações que aguçam cada vez mais o meu “apetite”, mesmo sem o conhecer. Gostava de um dia lá chegar para ficar, tempo alargado e com objectivos bem definidos. Para além de apagar a sede do simples conhecer, poder também dar de beber à vontade de lá poder crescer também profissionalmente. O país em que sonho um dia trabalhar, lá mais para frente. Um local onde possa partilhar com os melhores o saber do meio audiovisual, profissão que escolhi para me licenciar e trabalhar. Mas o audiovisual é outro conto que para cá não será chamado pelo grande tamanho que ocupa no meu coração e na minha vida, afinal é um dos meus amores.
É verdade, hoje virada para o mar, debaixo de um sol companheiro e uma brisa presente, deu-me vontade de escrever sobre o outro lado do oceano, o lado que me viu nascer e que um dia quero voltar, nem que seja por momentos.

Sem comentários: