quarta-feira, 25 de junho de 2014

JOVENS TALENTOS MAGAZINE

Lancei recentemente um projeto de raiz, um projeto que acredito no potencial dele próprio, da mensagem que pretendo que transmita a cada número.
Lancei a Jovens Talentos Magazine porque eu própria senti na pele a dificuldade em me destacar neste mundo cada vez mais competitivo, em encontrar alguém que esteja disponível a abrir-me a porta para uma oportunidade, mesmo sem me conhecer de lado algum, aquela oportunidade que se pretende mostrar o que somos e o que sabemos fazer.
Ora, criar um espaço, neste caso um magazine, em que a cada número evidenciamos jovens, talentos nas suas mais variadas vertentes, jovens que acreditam em si e nas suas ideias, jovens que têm ideias, jovens que fazem e não esperam que as coisas apareçam feitas, são esses que fazem o futuro de uma cidade, de um país, da humanidade.
Ora é verdade que estou a começar devagar, em voos baixos, com likes lentos, com o fazer acreditar os outros a paço a paço, diga-se que não é fácil fazer os outros acreditarem num projeto à partida, é preciso mostrar que vale a pena, que é importante, que vai fazer a diferença em todos os sentidos.
Eu acredito na Jovens Talentos Magazine e por isso, mês após mês, lanço um novo número em conjunto com algumas pessoas que também acreditam neste que se pretende que seja o Magazine dos jovens, a grande montra do verdadeiro talento que temos no nosso país.

Se ainda não conheces ora aqui está o momento certo para conhecer :D
Apresento-vos a Jovens Talentos Magazine nº2.
Aproveito para partilhar a nossa página oficial de facebook, façam LIKE :)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

AO CAMINHO

Diz quem sabe que quem espera desespera mas também quem espera sempre alcança. Ainda espero e acredito que irei alcançar, no entanto nesta espera que desespera só tenho em mente não deixar de acreditar em tudo aquilo quero alcançar.
Ora depois de tal trocadilho só posso explicar que ainda não encontrei a verdadeira oportunidade de estágio/emprego que tanto procuro, é um “mundo” difícil de enveredar mas que ainda não me fez perder a esperança. É difícil não a perder, é fácil desencorajar, deixar de acreditar, entrar num leve estado depressivo que faz estar e não estar onde estamos ou queremos estar. É algo que nem sempre é preceptivo ao comum dos olhos e ao coração, tanto ao meu como a qualquer outro que roça no diário de quem espera. 
Ainda não deixei de acreditar, porque sou assim, porque aprendi a ser assim, porque quero ser assim. Ser-se de outra maneira, ninguém ganha, só perde. Perde tempo, perde animo, perde saúde, perde alegria, o sorriso e aos poucos, sem dar de conta a vida deixa de fazer sentido. Vive-se por viver, por ver andar os outros e isso não faz sentido, viver é acreditar, viver é cair e levantar, viver é tentar e voltar a tentar, viver é viver, respirar e sentir o ar que tão bem sabe a liberdade, a esperança e a vida.
Não espero “sentada” porque me quero cansar com a minha própria busca, quero sentir que sou capaz de procurar, de bater a todas as portas e mostrar do que sou feita.
Este país no momento não é um lugar fácil, é uma tarefa mais do que árdua para quem estudou, trabalhou e acreditou que aquele era o caminho certo. Pois é, o caminho sabemos que é o certo mas a porta essa não abre à primeira, é preciso mais que um “abre-te sésamo”.
Ora, sou mais uma das jovens que estou na lista, não na negra mas naquela meia cinzenta do país. Milhares de jovens que comigo partilham esta experiência que assusta mas que ao mesmo tempo encoraja a querer-se fazer sempre mais e melhor.
Acredito também na força de cada um, acredito na minha, acredito que se acreditarmos é um paço em direção do caminho desejado. Ao mesmo tempo acreditar e escrever aquilo em que acreditamos aí são dois paços em direção ao que almejamos. Vamos lá paço a paço em direção ao que verdadeiramente queremos.