quarta-feira, 9 de março de 2011

O CLICK

Um dia, encontramos alguém que acreditamos gostar, na realidade gostamos, veneramos o olhar, o rosto, as mãos, os gestos, as risadas, o corpo, a alma... idealizamos verdadeiras cenas de cinema, momentos que desejamos um dia viver, sonhos de contos encantados...

Convivemos diariamente com o nosso "desejo" e cria-se a vontade de que aqueles momentos permaneçam na eternidade, no entanto, o fim daquela rotina chega e a visível "separação" é inevitável...

Os momentos iniciais são de muita esperança, talvez de alguma fantasia e tempo de acreditar nos sonhos.

O tempo, esse que todos dizem ser um verdadeiro amigo, aumenta o desejo e também a saudade, mas é importante continuar a acreditar e a sonhar.

Parar o tempo é impossível, dessa forma a vida continua ao ritmo que queremos, os momentos variados multiplicam-se na nossa vida, as pessoas chegam e partem, algumas passam e outras permanecem, até que um dia talvez também se "retirem".

Os sentimentos, esses alteram-se com o tempo, a passo lento, de forma subtil, inexplicavelmente chega o momento em que olhamos para traz e sentimos vontade de sorrir, foi BOM tudo o que vivemos, conhecemos e acreditamos, mesmo que alguns dos sonhos e fantasias não se concretizem, tudo deve ter a sua explicação, um dia a resposta para todas as múltiplas perguntas que criamos irão chegar, talvez aí o sorriso que demonstramos até então passe para um gargalhada.

Permanece a saudade e a alegria de te ter conhecido, afinal estamos tão perto mas ao mesmo tempo tão longe...