domingo, 4 de outubro de 2015

Já foram 6!

É mais um dia dele (deles) que chega. É um dia que estimo agora com saudade mais do que qualquer sentimento, no entanto é o dia que faz mais uma vez mover pessoas, ideias e objetivos. Sensibilizar, mostrar que vale a pena e que nunca é tarde.
Velhos são os trapos e mesmo esses tem sempre alguma função a desempenhar.
Comecei com um, depois chegou a outra que procriou como se não houvesse amanhã e em menos de “três tempos”. Passaram a ser 6 a cargo! E como gostei de os ter a todos e todas comigo. Na hora certa encontrei almas gémeas para os mais pequenos(as), dois de cada, e voltaram a ficar dois. Os melhores!
Pouco tempo depois e sem aviso prévio a vida fez rasteira e para ele foi o último suspiro, alguns últimos suspiros. Ouvi mas não vi, sons que ficaram cravados na minha cabeça e que em conjunto com a saudade me fazem chorar em vários momentos e locais. Ele era grande, meigo, peludo e fofo, tal “fofura” extrema que lhe deu nome durante a sua década e mais um bocadinho de existência.
Foi o melhor animal de estimação que alguma vez poderia ter tido. Acompanhou-me em vários e importantes momentos, viu nascer o príncipe lá de casa, guardou-o como se uma cria fosse e partilhou brincadeiras como um verdadeiro compincha.
Também o Lucas perdeu um grande amigo. Eu perdi um pouco mais. Amigo é pouco para o bem que ele me fez, sem falar abraçava-me quando se sentava insistentemente aos meus pés todos os dias, para que que lhe afaga-se o pelo e as orelhas de mimo. Era grandalhão, mimado e amado por todos o que o conheciam.
A que resta é “malandreca” para se pisgar, adora passear de forma espontânea e sem ninguém para a controlar. Se lhe colocamos trela, aninha-se e não sai do sitio. Não foi feita para ser comandada. Adora mimos mas colo nem velo. É uma senhoreca com alguma etiqueta quanto à sua higiene, sempre lavadinha a cada passada ou toque. É cusca por natureza e por isso a minha mãe que a adotou não demorou em batiza-la com tão original nome. É a Cusca cá de casa e hoje o dia é dela e de tantos outros.
FELIZ DIA DO ANIMAL! E por favor, façam deste dia o ano inteiro.

Karina Silva




segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Novos mundos ao meu mundo

Quem disse que é fácil começar do zero?
Faz cinco dias que mudei de ares, de residência, de freguesia e de cidade. Do Porto chegou a Lisboa uma jovem que sempre quis cá estar.
Ontem dei inicio à oportunidade que à muito procurava. Bati a muitas portas, muitos emails, muitos... Hoje continuo a pensar da mesma maneira que sempre pensei, mas com mais força, vale a pena acreditar que é possível e que os sonhos são possíveis de se concretizar. Não basta esperar é preciso agir e ser muitíssimo persistente com a vida e connosco próprios.
No cominho que percorri, um ano, senti desanimo, tristeza, perca de força e medo... Mas esses não foram mais do que aqueles em que senti força, vontade de fazer mais, acreditar mais, vontade de conseguir concretizar os meus grandes sonhos e objetivos. Acho que só assim vale mesmo a pena viver, sempre à acreditar.
O meu mundo ganhou novos mundos e eu sinto-me como uma aventureira, não por via marítima até à Índia mas por terra até à capital. Em busca da tão desejada concretização profissional, de estar ligada a projetos dos quais sempre quis participar. Hoje sou estagiária, como tantos outros neste país, mas continuo à acreditar que é possível, que será possível.
A vida para mim é isto, não deixar nunca de acreditar e principalmente de sonhar.
Não é fácil começar do zero seja no que for na nossa vida, mas vale a pena, sempre que for necessário saltem em direção ao mundo.

Crónica Outubro Jovens Talentos Magazine 2014


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

CRÓNICA de Setembro Jovens Talentos Magazine!

Escrevi no passado dia 9 de Setembro a minha crónica para a quinta edição Jovens Talentos Magazine.
Tinha acabado de perder o meu Fofo (o meu cão) no domingo anterior e isso fez-me escrever de forma sentida e completamente verdadeira sobre o assunto que mais mexe cominho, os animais, os seus direitos e a sua dignidade. A Jovens Talentos abraçou uma causa e quer ajudar na divulgação de uma das muitas associações que ajudam animais abandonados, a União Zoófila.
Em baixo partilho a crónica de Setembro para JTM.
Edição Nº5http://goo.gl/8CsS5c

VAMOS TODOS AJUDAR?

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Jovens Talentos Magazine Nº4

Já lá vão 4 meses que me lancei, num projeto quase individual, num espaço que poderia ser um blog, uma página. É um espaço em formato de magazine que pretende mostrar o talento jovem português em todas as suas vertentes. Comecei por mim e para mim e hoje trabalho no projeto com vontade de ajudar outros, de os evidenciar, de os mostrar, de os destacar. Sinto que estamos à ajudar, sinto que podemos ajudar ao lhes dar um ponto de destaque, dar valor aos que já realmente o têm mas que por vezes não é mostrado/ partilhado.
Ontem lancei mais um, o quarto, o de Agosto! :)
Espero que gostem tanto quanto eu gosto de o fazer. Faço por gosto, faço aos meus olhos e para os olhos de quem aceita por mim ser entrevistado. Obrigada a todos, direta ou indiretamente ajudam a que seja possível lançar a cada mês mais um número. É um projeto a custo 0 mas com 100% de lucro, o lucro em alegria e satisfação.
Não sei se será um projeto de longa duração ou curta, mas enquanto durar será sempre com o melhor de mim e com o melhor do nosso país, os Jovens Talentos. :)
Acedam ao facebook do projeto para seguirem mais de perto as novidades:
https://www.facebook.com/jovenstalentosmagazine
Karina Silva

sábado, 26 de julho de 2014

Nasci do outro lado do oceano

Nasci no outro lado do oceano, a Venezuela que nunca conheci, ou melhor, que não me recordo é hoje um país grande num continente gigante. Foi a minha primeira casa. Hoje, mesmo sem conhecer, é pela América Latina que o meu coração “chama”... que a minha pele respira. Gosto da cultura, do lugar, do ar e de tudo que aquele continente pode dar. Quero um dia lá voltar! É verdade, hoje quero conhecer a cidade onde nasci e a qual a minha mãe relembra com alguma saudade e alegria. Mas não só da Venezuela se cria aquele continente, tem tanto por onde olhar, respirar e saborear que me perco nas opções.
Olha o brasil, que ao lado é vizinho e que partilha o continente. É a alma latina, o mesmo calor e o mesmo oceano. O clima deve ser verdadeiramente cativante mas não é deveras para mim o mais importante. Perco-me na mistura de sensações que aguçam cada vez mais o meu “apetite”, mesmo sem o conhecer. Gostava de um dia lá chegar para ficar, tempo alargado e com objectivos bem definidos. Para além de apagar a sede do simples conhecer, poder também dar de beber à vontade de lá poder crescer também profissionalmente. O país em que sonho um dia trabalhar, lá mais para frente. Um local onde possa partilhar com os melhores o saber do meio audiovisual, profissão que escolhi para me licenciar e trabalhar. Mas o audiovisual é outro conto que para cá não será chamado pelo grande tamanho que ocupa no meu coração e na minha vida, afinal é um dos meus amores.
É verdade, hoje virada para o mar, debaixo de um sol companheiro e uma brisa presente, deu-me vontade de escrever sobre o outro lado do oceano, o lado que me viu nascer e que um dia quero voltar, nem que seja por momentos.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

ACIMA DE TUDO MÃE

Não sou mãe. Mas perder um filho, o único! Aquele a quem desejamos o melhor e fazemos o possível e o impossível por ele! Não sou mãe, não conheço o André, nem o pai do André e muito menos a Judite, mas acredito que a dor essa... O que sei é que nenhum ser humano deveria passar tal provação na vida.



“Perdi o meu filho. O meu único filho. A luz que dava sentido à minha vida. O meu santo que tantas alegrias me deu. Bom filho, bom estudante, inteligente. Com uma carreira de sucesso. Não sei como vou ultrapassar esta dor. O que sei é que uma parte de mim morreu com o meu André. Interrogo-me sobre o sentido da minha vida. As minhas escolhas, a minha vida focada no trabalho, na escrita, tendo sempre presente que o meu filho era quem mais se orgulhava do que eu fiz e construí ao longo da minha vida. Fiz tudo para que nada faltasse ao meu André, mas não consegui salvar-lhe a vida. Um fracasso e uma tragédia. Estranha vida a minha! Realizada profissionalmente, dramática pessoalmente. O último ano foi penoso. Apenas existia o meu André que me dizia muitas vezes: "Mãe, não vais ficar sozinha". E eu acreditava. Acreditava. Eram palavras ditas pelo meu filho, um jovem ponderado e sensato. 
Esta conversa vai longa. Pretendo apenas, por este meio, agradecer as muitas mensagens e emails que recebi nas últimas 48 horas. Não tenho palavras para expressar a minha gratidão. A todos. Do fundo do meu coração.” Judite de Sousa

quarta-feira, 25 de junho de 2014

JOVENS TALENTOS MAGAZINE

Lancei recentemente um projeto de raiz, um projeto que acredito no potencial dele próprio, da mensagem que pretendo que transmita a cada número.
Lancei a Jovens Talentos Magazine porque eu própria senti na pele a dificuldade em me destacar neste mundo cada vez mais competitivo, em encontrar alguém que esteja disponível a abrir-me a porta para uma oportunidade, mesmo sem me conhecer de lado algum, aquela oportunidade que se pretende mostrar o que somos e o que sabemos fazer.
Ora, criar um espaço, neste caso um magazine, em que a cada número evidenciamos jovens, talentos nas suas mais variadas vertentes, jovens que acreditam em si e nas suas ideias, jovens que têm ideias, jovens que fazem e não esperam que as coisas apareçam feitas, são esses que fazem o futuro de uma cidade, de um país, da humanidade.
Ora é verdade que estou a começar devagar, em voos baixos, com likes lentos, com o fazer acreditar os outros a paço a paço, diga-se que não é fácil fazer os outros acreditarem num projeto à partida, é preciso mostrar que vale a pena, que é importante, que vai fazer a diferença em todos os sentidos.
Eu acredito na Jovens Talentos Magazine e por isso, mês após mês, lanço um novo número em conjunto com algumas pessoas que também acreditam neste que se pretende que seja o Magazine dos jovens, a grande montra do verdadeiro talento que temos no nosso país.

Se ainda não conheces ora aqui está o momento certo para conhecer :D
Apresento-vos a Jovens Talentos Magazine nº2.
Aproveito para partilhar a nossa página oficial de facebook, façam LIKE :)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

AO CAMINHO

Diz quem sabe que quem espera desespera mas também quem espera sempre alcança. Ainda espero e acredito que irei alcançar, no entanto nesta espera que desespera só tenho em mente não deixar de acreditar em tudo aquilo quero alcançar.
Ora depois de tal trocadilho só posso explicar que ainda não encontrei a verdadeira oportunidade de estágio/emprego que tanto procuro, é um “mundo” difícil de enveredar mas que ainda não me fez perder a esperança. É difícil não a perder, é fácil desencorajar, deixar de acreditar, entrar num leve estado depressivo que faz estar e não estar onde estamos ou queremos estar. É algo que nem sempre é preceptivo ao comum dos olhos e ao coração, tanto ao meu como a qualquer outro que roça no diário de quem espera. 
Ainda não deixei de acreditar, porque sou assim, porque aprendi a ser assim, porque quero ser assim. Ser-se de outra maneira, ninguém ganha, só perde. Perde tempo, perde animo, perde saúde, perde alegria, o sorriso e aos poucos, sem dar de conta a vida deixa de fazer sentido. Vive-se por viver, por ver andar os outros e isso não faz sentido, viver é acreditar, viver é cair e levantar, viver é tentar e voltar a tentar, viver é viver, respirar e sentir o ar que tão bem sabe a liberdade, a esperança e a vida.
Não espero “sentada” porque me quero cansar com a minha própria busca, quero sentir que sou capaz de procurar, de bater a todas as portas e mostrar do que sou feita.
Este país no momento não é um lugar fácil, é uma tarefa mais do que árdua para quem estudou, trabalhou e acreditou que aquele era o caminho certo. Pois é, o caminho sabemos que é o certo mas a porta essa não abre à primeira, é preciso mais que um “abre-te sésamo”.
Ora, sou mais uma das jovens que estou na lista, não na negra mas naquela meia cinzenta do país. Milhares de jovens que comigo partilham esta experiência que assusta mas que ao mesmo tempo encoraja a querer-se fazer sempre mais e melhor.
Acredito também na força de cada um, acredito na minha, acredito que se acreditarmos é um paço em direção do caminho desejado. Ao mesmo tempo acreditar e escrever aquilo em que acreditamos aí são dois paços em direção ao que almejamos. Vamos lá paço a paço em direção ao que verdadeiramente queremos.



quinta-feira, 24 de abril de 2014

86 anos, Parabéns!

Hoje farias 86 anos de VIDA! Mas que vida, ao meu lado foram 12. Mas que belos 12 anos da minha vida contigo.
Toda a gente sabe como foi a minha infância e início de juventude, não foi fácil para mim, para ninguém, mas com a tua presença foi tudo tão diferente. Deste-me TUDO que um pai pode e deve dar! Foste mais que pai.
Existe algum nome, alguma definição para quem é pai e avô ao mesmo tempo?
Tinha 12 anos quando a tua viagem aqui na terra terminou, mas lembro-me de TUDO como se tivesse sido ontem. Marcaste a minha vida como ninguém, aí que saudades tenho tuas, o que eu dava para te ter neste momento aqui. Como eu gostava que fizesses parte de todas as minhas conquistas depois da tua partida, foram algumas, sei que estás orgulhoso.
O meu maior desejo para o dia de hoje é que estejas a sorrir.
Quando me vires assim como na foto, com ar mais rabugento, desmotivada, continua a empurrar-me como tão bem fizeste durante 12 anos, quero-te sempre ao pé de mim a segurar os meus dias, a seres a minha companhia como se estivesses vivo. Não deixes nunca de me empurrar a sorrir como sempre fizeste.

OBRIGADA SUPER AVÔ! Mais conhecido como o Sr. Fernando sapateiro :D


sábado, 28 de dezembro de 2013

O NOVINHO 2014

Está a chegar ao fim! O ano... 
Em 2010 estava eu a escrever um pequeno texto retrospectivo onde falei de tantas coisas... o ano em que comecei a aventura do mundo universitário! Pois... já passou e eu concretizei, concretizei, concretizei.
Orgulho-me desse passo, de tudo o que fiz e vivi, cresci tanto, vivi tanto e agora é continuar a acreditar que vou continuar a concretizar e tenho tanto para concretizar...
O trabalho está neste momento à frente de tudo, é no trabalho que eu quero que o ano brilhe. Quero continuar a rir muito e a fazer rir, quero mudar de cidade, quero conhecer pessoas novas, viver bons momentos com os amigos, quero ajudar a minha mãe a ser mais feliz, proporcionar-lhe coisas novas e momentos que é agora que ela merece. Já vos disse que quero trabalhar muito! :) 
O ano que passou foi bom, com coisas menos boas que diria eu que fazem parte. Em 2013 mudei para sempre as minhas habilitações académicas. Ganhei coragem no tempo certo para mudar o meu “visual”, aí como foi preciso ter coragem. Mas é isso que me diferencia um pouco de tantas outras pessoas, quando digo que faço, faço, quando digo que terei coragem, tenho, quando digo que sou capaz, serei capaz, mesmo que não seja simples.
Vou fazer de tudo para que os 25 anos que já começaram sejam extraordinários. Sabemos todos que nem tudo corre como esperamos, no entanto se não acreditarmos aí é que tudo se torna ainda mais difícil! Eu acredito, eu sonho e vou atrás das concretizações dos meus verdadeiros sonhos.
Será um ano de mudanças, alegrias, sorrisos, concretizações e muita esperança.


O meu ano de 2013 foi mais o menos isto :)

BOM ANO A TODOS!




domingo, 22 de dezembro de 2013

É NATAL!


Já corre por aí a notícia que está a chegar o grande dia, o nascimento do menino de Jesus, este que nascera da imaculada Maria, sendo o seu dia (o dia de Maria, 8 de Dezembro) comemorado também como sendo meu, do meu aniversário.
É NATAL e gosto desta época! Gosto das luzes, dos sons e músicas natalícias, dos cheiros e das cores... como gosto de ver uma linda árvore de natal cheia de luzes e bolas, estas que combinem porque se não estragam a vista ;)
O frio cada vez mais dispenso, teima em gelar e a ficar no meio de nós! É bom sentir o frio num dia como o de natal, mas o Inverno dura muito e eu continuo a preferir o calor que só sol sabe partilhar.
Quanto aos doces, não sou muito gulosa, no entanto não dispenso o chocolate, quase todo ele me agrada e quando começo é me muito difícil parar.
A família é o factor principal do Natal, já foi tempo em que na minha mesa de natal éramos muitos, agora essa família dissipou-se e posso dizer que ficou a nata. Somos muito poucos mas os mais importantes. Já não se usa no meu natal a troca de presentes, a não ser para o mais pequeno porque esse também tem direito ao sonho de natal que eu também vivi.
A minha mãe que se rege por grande fé em Deus e nos seus santos, nunca me educou para o consumo, embora eu goste bastante de um dia de compras, mas para o Natal é coisa que nunca fui habituada, não tenho o hábito de as fazer e muito menos de as oferecer.
Sinto que gosto do natal não só pelo dia 24 ou 25, gosto do mês de Dezembro, do espírito que se cria durante um curto espaço de tempo. Acho que devíamos deixar ficar o ano inteiro as luzes e as cores que se proporcionam.
É tão bom sentir o quentinho da lareira, as luzes da árvore, o cheiro a doces da época, os sons que só soam e tocam nesta altura e o sorriso entusiasmante do meu afilhado de 7 anos enquanto espera pelo pai natal e pelos presentes.
Especialmente este ano acredito mais que nunca no natal, na força que nele se encontra e no calor que permanece pelo menos mais algumas semanas.
Feliz Natal a todos que continuam a ler o meu blogue! Muito obrigada a todos.


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

TRAVEL IN DREAM

Viagens de sonho que ainda não passaram disso. Mas mesmo que não passem de meros sonhos (coisa que não aceito que assim seja), são sempre viagens de sonho, as minhas viagens de sonho!
Já vos disse que gosto de sonhar? Sim, mas o que os torna interessantes é a concretização desses. Aí como sabe bem... Já tive MUITOS, muitos que maravilhosamente concretizei e outros tantos que continuam comigo, e que não se apagam até que se concretizem...
Ora bem, a primeira viagem de sonho é sem duvida e desde muito pequena ao Brasil... sim, Rio de Janeiro principalmente mas também São Paulo, Brasília, Bahia e tantas outras cidades que me lembram a minha infância. Foram tantos os momentos que passei a viajar para o Brasil através da janela mágica. A televisão fez-me conhecer um país que desde pequena considero um pouco meu, mesmo sem o conhecer. São tantas as paisagens que me fazem vibrar sempre que delas me recordo, a luz, as pessoas que levam a vida de uma forma mais “livre” e sorridente, grande parte que vê a força divina como o motor da humanidade o que tudo sabe e o melhor faz. Gentes que vivem ao som do samba, de chinelo nos pés e água de coco que todos queremos provar.
Aí como eu quero aquele calor, sentir o sabor e ver o cristo redentor!
Brasil me espera um dia :)

http://www.hothdwallpaper.net


Nada melhor que viajar para o Brasil ao som Antonio Carlos Jobim

sábado, 23 de novembro de 2013

A MINHA PROFISSÃO

Depois de um caminho cheio de diferentes histórias é no ano 2013 que eu escrevi uma das linhas mais importantes, “sou licenciada”.
Passei pelos papéis, telefones, computadores, pessoas ao balcão e dossiers, a caneta na sua função de “secretária” era o futuro que eu via como possível para o meu caminho e a minha história, afinal andar sobre rodas não me deixava deslizar por muitas hipóteses. Agora penso, seriam as rodas ou as cordas que amarravam os meus pensamentos e sonhos?
Desde pequenina, sim, ainda não cresci muito (sorrisos), mas o tamanho não é para aqui chamado, que vivo agarrada à televisão, desenhos animados claro, mas o que mais me prendia eram as novelas, brasileiras... eu sabia sempre tudo, a história, as personagens e até o que iria acontecer mais à frente... mas eu sabia mais. Com tão pouca idade, 6 ou 7 diria eu, eu sabia o que era o projac, sim eu disse o projac, o centro de produção da rede globo no Brasil. Eu sabia que era lá que se reunia tudo, tudo o que era preciso para se fazer uma telenovela, os cenários, às câmaras, os camarins, os objetos que utilizavam na decoração das “casas”... tudo, eu sabia que lá existia uma “cidade” completa que a televisão transformava em ficção.
Quando via televisão deixava-me envolver nas histórias que alguém escreveu, mas também ficava ali, a imaginar o que estaria acontecer por trás da câmara, sempre.
No entanto nunca pensei que era no audiovisual que estaria a minha profissão de sonho. É verdade, a vida encarregou-se de me guiar por várias histórias que me levaram a entrar para a universidade, o mundo do som e da imagem é mesmo a minha área profissional. Hoje sei, hoje sinto que valeu a pena todo o meu percurso, valeu a pena a minha licenciatura, os últimos três anos da minha vida.
Agora os sonhos continuam, a vontade é estagiar, trabalhar e aprender cada vez mais e mais, aquela aprendizagem que só a experiência ensina.
Vejo-me a transformar as imagens em um projeto único, completo, a edição de imagem é algo que me completa ainda mais.
É um mundo difícil de entrar, competitivo, mas é também isso que o torna apetecível, que dá vontade de não desistir, de continuar a acreditar que sou capaz e que um dia o sonho audiovisual completasse.

Vamos lá atrás da oportunidade para mostrar do que sou capaz ;)


terça-feira, 5 de novembro de 2013

10 ANOS!

É verdade, hoje ele faz 10 anos de vida e a pouco mais de um mês faz 10 anos que me acompanha... é uma vida, diria eu, é uma história de amor e carinho de quem afirma ter um verdadeiro amor e grande respeito por eles, os animais. É um companheiro no silêncio da tarde, nos passeios à rua que nós os dois tanto gostamos, na sua gulosa vontade em trincar tudo o que como, no seu bom dia com o rabo abanar e o seu delicado sentar aos meus pés e rodas para que lhe afague o volumoso pelo que o compõe.
Trocamos olhares, mimos e momentos que são e serão só nossos... foram até agora 10 anos, que sejam agora os que tiverem que ser mas que continuem a ser sempre da mesma qualidade dos que até aqui passaram. Sei que ele não lê o que escrevo mas sei que sabe o que sinto por ele tal como eu sei o que ele sente por mim. Sim, ele chama-se Fofo à 10 anos :D






segunda-feira, 23 de setembro de 2013

7 ANOS DE ALEGRIA

7 anos de alegria.
O Lucas nasceu a 20 de Setembro de 2006, à 7 anos que sou tia e “madinha” do miúdo mais encantador deste planeta. Adoro olhar para ele e sentir que também faz parte de mim, para além de ter também um pouco do meu sangue, tem todo o meu carinho. Olho para ele com olhos do mundo, com olhos de quem lhe deseja o melhor do mundo... esse melhor só ele sabe qual é, quero que seja um sonhador, com os pés assentes na terra mas com atitudes de quem vai e faz tudo para alcançar os seus sonhos e objectivos de vida. Sou um pouco assim mas gostava que ele fosse ainda mais, que não tivesse medo de cair, porque cair faz parte do caminho e é com essas quedas que aprendemos.
Foram 7 anos de muito sorrir quando estou ao pé dele, com a sua ingenuidade que só o tempo faz perder, com o brilho de quem ainda tem muito para aprender mas também para ensinar. Como todos, ele nasceu para fazer e ser feliz.

Parabéns Lucas!